Terça-feira 20 Outubro 2020 - 7:48:26 am

O Dia Internacional da Alfabetização: Emirados Árabes Unidos alcança marco educacional


ABU DHABI, 7 de Setembro de 2020 (WAM) -- Nas últimas décadas, os EAU alcançaram um marco educacional que lhe permitiu quase erradicar o analfabetismo a nível local e abordar questões educacionais em muitos países árabes.

O país continua a competir a nível mundial nas áreas da ciência e do conhecimento, para além de preparar peritos Emirados nas áreas do espaço, das energias renováveis e de muitas outras raras especializações científicas.

Os EAU lançaram muitos projectos destinados a combater o analfabetismo na região árabe, e as suas iniciativas no Iémen, na Palestina e em vários campos de refugiados melhoraram as condições educacionais e reduziram o analfabetismo.

Os EAU unem-se ao mundo na celebração do Dia Internacional da Alfabetização a 8 de Setembro, uma vez que estabeleceu com sucesso uma comunidade consciente e intelectual onde todos têm o direito de aprender e podem ter acesso à educação, de acordo com os mais elevados padrões internacionais. O dia visa realçar a importância da alfabetização para os indivíduos, comunidades e sociedades.

A ajuda financeira e em espécie e o apoio prestado pelos EAU às organizações internacionais relevantes e aos governos dos países que acolhem refugiados, ajudaram a reduzir a intensidade da crise dos refugiados em termos da falta de acesso à educação.

Em Janeiro de 2020, os EAU inauguraram a segunda fase de um projecto de construção de três centros de alfabetização e três centros de memorização do Alcorão Sagrado no Iémen, que podem ser acrescentados à longa lista dos esforços humanitários do país, incluindo a construção e reabilitação de escolas, institutos e universidades e o financiamento dos salários do pessoal educativo.

Entre 2012 e Janeiro de 2019, o valor da ajuda educativa dos EAU prestada em resposta à crise síria ascendeu a cerca de AED190,1 milhões.

Na Palestina, os EAU são um dos principais países que apoia os esforços da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Próximo Oriente, UNRWA, para implementar os seus programas educacionais para estudantes palestinianos.

De acordo com a UNRWA, 80% do apoio dos EAU entre 2014 e 2019 foi atribuído à educação, avaliado em 164 milhões de dólares.

Desde a criação dos EAU em 2 de Dezembro de 1972, a sua liderança tem promovido a educação e a alfabetização, considerando-as um objectivo estratégico da sua campanha "Educação para Todos". O país abriu escolas, centros de alfabetização, centros de educação de adultos, associações de desenvolvimento feminino e associações de desenvolvimento social para erradicar o analfabetismo.

A educação é um direito de todos os cidadãos. É paga pelo governo nas escolas e instituições públicas. O Governo dos EAU emitiu a Lei Federal nº 11 de 1972 relativa à Educação Obrigatória, que obriga os pais ou o tutor legal a mandar os seus filhos à escola.

Os EAU concedem a todos os seus cidadãos o direito de acesso à educação e assumem os custos educacionais de todos os estabelecimentos públicos de ensino e as suas leis estipulam que a educação é obrigatória até à fase secundária.

Os EAU ocuparam a primeira posição internacional na categoria de "Percentagem de Inscrição de Estudantes Estrangeiros no Ensino Superior", bem como a "Taxa de Conclusão da Etapa Elementar nas Escolas" e "Presença de Estudantes Internacionais", de acordo com o Índice de Inovação Internacional da Escola de Negócios INSEAD em 2018 e o Índice de Prosperidade do Legatum, respectivamente.

O Governo dos EAU introduziu uma lei sobre o ensino obrigatório e lançou várias iniciativas para promover a educação nos EAU e na região árabe.

O Gabinete dos EAU aprovou uma lei em Julho de 2012 que torna obrigatório que as crianças iniciem a instrução escolar aos seis anos de idade e permaneçam na escola até completarem a 12ª classe ou atingirem os 18 anos de idade.

Hoje, os EAU oferecem uma educação abrangente a todos os estudantes Emirados, homens e mulheres, desde o jardim-de-infância à universidade.

O Desafio da Alfabetização no Mundo Árabe, lançado por Sua Alteza Xeque Mohammed bin Rashid Al Maktoum, Vice-Presidente e Primeiro-Ministro dos EAU e Governador do Dubai em 2017, procura beneficiar 30 milhões de jovens e crianças árabes até ao ano 2030.

Após o anúncio de 2016 como o Ano da Leitura, o Gabinete emitiu directivas para preparar uma Estratégia Nacional de Alfabetização integrada e um quadro para produzir uma geração de leitura. A estratégia nacional de alfabetização visa assegurar que todos os jovens e uma proporção substancial de adultos.

A campanha 'Reading Nation' ("Nação da Leitura"), parte de Mohammad Bin Rashid Al Maktoum Global Initiatives, é mais um passo através do qual os EAU exprimem a sua paixão por servir a humanidade e visa distribuir 5 milhões de livros a crianças em campos de refugiados e escolas em todo o mundo.

O Desafio da Leitura Árabe, uma iniciativa de alfabetização lançada em 2015 pelo Mohammed Bin Rashid Global Initiatives, com o objectivo de encorajar as crianças do mundo árabe a ler 50 milhões de livros através de uma série de prémios e incentivos para crianças, faculdades e instituições educacionais.

O Dia Internacional da Alfabetização 2020 centra-se no "Ensino e aprendizagem da alfabetização na crise da COVID-19 e mais além", especialmente no papel dos educadores e na mudança das pedagogias. O tema destaca a aprendizagem da literacia numa perspectiva de aprendizagem ao longo da vida e, por conseguinte, concentra-se principalmente nos jovens e adultos.

Traduzido por: Moohamed Eid Khedr.

http://www.wam.ae/en/details/1395302868065

WAM/Portuguese